quarta-feira, 8 de junho de 2011


Mas sempre, sempre, cinco minutos depois,tudo passa. Nunca menos e raramente mais do que isso, cinco minutos, e tudo vai embora porque é assim, as coisas têm que passar, os dias têm que mudar, os ares têm de ser novos e a vida continua, com ou sem qualquer um.

***
Caio Fernando Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário